Publicação: Consequências da expansão de biocombustíveis no Brasil sobre uso da terra, água e a economia até 2030 sob mudanças climáticas

Resumo

A expansão de biocombustíveis brasileiros está no centro de um debate sobre a sustentabilidade do setor; inicialmente pelo seu potencial para contribuir para mitigação de emissões de efeito estufa (GEE), mas hoje também em relação a impactos sociais e ambientais como no caso do possível deslocamento da fronteira agrícola para a floresta amazônica, impactos sobre a disponibilidade de recursos hídricos ou a sua contribuição para objetivos sociais como é o caso para a redução da pobreza. O impacto da mudança climática até 2030 pode ainda fortalecer esses potenciais conflitos (ou trade-offs em inglês). Pelo outro lado, há uma expectativa de que a expansão sustentável da
produção de biocombustíveis poderá contribuir para uma transição para uma economia de baixo carbono. Para identificar e quantificar possíveis sinergias ou trade-offs entre os setores da energia, uso da terra, macroeconomia e recursos hídricos essa pesquisa buscou a desenvolver uma modelagem integrada, utilizando um conjunto de cenários socioeconômicos, climáticos e energéticos até 2030.

O artigo aqui apresenta uma primeira tentativa de sumarizar os resultados dessa pesquisa, mostrando de que a sustentabilidade dos biocombustíveis só pode ser entendida dentro de uma análise setorialmente integrada que inclui a expansão da agropecuária, metas para
conservação, e o desenvolvimento sustentável.

Baixar

Obermaier, M., Wills, W., King, C.W., Moreira, M.M., Rodriguez, R.d.G., Kimura, W., Harfuch, L., Bachion, L.C. (2017). Consequências da expansão de biocombustíveis no Brasil sobre uso da terra, água e a economia até 2030 sob mudanças climáticas. XVII Congresso Brasileiro de Energia, PPE/COPPE/UFRJ, Rio de Janeiro.

Foto: Lian-Pin-Koh (via Flickr)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *